Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home
Fatos e Dados: Notícias, Vídeos, Entrevistas e Mais - Petrobras

Nossa mão de obra feminina cresceu 124% desde 2003

15.Abr.2014

mulheres.jpgA participação das mulheres nas nossas atividades tem crescido a cada dia. Desde 2003, a mão de obra feminina cresceu 124% e hoje representa 15,8% do efetivo total. As mulheres já ocupam mais de mil cargos de liderança. Do total de mulheres empregadas, 62% têm entre um e nove anos na empresa. O perfil de crescimento da participação feminina foi percebido em todas as carreiras, incluindo aquelas em que a formação tem sido historicamente de predomínio masculino como as relacionadas às engenharias.

Em 2003, por exemplo, para 28% de engenheiras de meio ambiente, tínhamos 72% de engenheiros. Hoje, a composição é de 37% de engenheiras e 63% de engenheiros. A elevação da participação feminina também pode ser notada entre as engenheiras de produção, com crescimento de 14% em 2003 para 29% em 2013. Na área de geologia, a participação das mulheres passou de 14% para 23% no mesmo período.

Continue lendo

Licitação é regra na Petrobras

15.Abr.2014

Nossas contratações são regidas pelo Decreto 2745, de 1998, e seguem as seguintes modalidades de licitação: concorrência, tomada de preços, convite, concurso e leilão. Isso significa que a licitação é a regra para toda e qualquer contratação de obras, fornecimento de bens ou serviços. Há casos previstos na legislação, no entanto, em que a licitação é dispensada ou mesmo inexigível por inviabilidade de competição. É o que acontece, por exemplo, quando o fornecedor é detentor de patente ou direito autoral.

Em todas as contratações de fornecedores, seguimos o Regulamento do Procedimento Licitatório Simplificado, aprovado por meio do Decreto nº 2.745/1998, conforme disposto na lei 9.478/97, conhecida como a Lei do Petróleo. O procedimento atende à dinâmica do setor, caracterizado por um ambiente de livre competição, em que a agilidade é fundamental para o desenvolvimento das atividades operacionais com economicidade e rentabilidade.

Continue lendo

Inscrições abertas para seleção pública de projetos esportivos educacionais

15.Abr.2014

Lançamos, hoje (15/4), em nossa sede, no Rio de Janeiro, a seleção pública de projetos esportivos educacionais, por meio da qual destinará R$ 45 milhões, no período de dois anos, a iniciativas de todo o país. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até 14 de julho, pelo site www.petrobras.com.br/ppec2014. Participaram da cerimônia o nosso diretor Corporativo e de Serviços, José Eduardo Dutra, e o gerente executivo de nossa área de Responsabilidade Social, Armando Tripodi.

Para o diretor José Eduardo Dutra, nossos projetos patrocinados, sobretudo projetos de esporte educacional, são ferramentas de inclusão social para crianças e adolescentes, visando a torná-los cidadãos. “A Petrobras, desde 2004, inseriu a responsabilidade social em seu plano estratégico, e, por meio das seleções públicas para projetos sociais, ambientais, culturais e esportivos, já investiu, ao todo, R$ 746 milhões em 770 projetos em todo o país”, ressaltou o diretor..

Continue lendo

Graça Foster fala sobre produção, Procop e nossas ações

15.Abr.2014

Ao responder a perguntas dos senadores durante audiência pública nesta terça, Graça Foster reforçou que a nossa produção de petróleo vai subir 7,5% este ano, com a entrada em produção de novas plataformas.

A executiva também ressaltou o resultado do Procop (Programa de Otimização de Custos Operacionais): "Só no ano de 2013, fizemos economia nos gastos gerenciáveis de R$ 6,5 bilhões". Sobre o desempenho das nossas ações, ela destacou que os trabalhadores que compraram ações em 2000, fazendo uso do FGTS, tiveram rendimento de 402%. "No mesmo período, o FGTS teve uma valorização de 90%", comparou.

Continue lendo

Graça fala sobre SBM: "Não encontramos irregularidades"

15.Abr.2014

Em audiência no Senado nesta terça-feira, a presidente Graça Foster abordou também a Comissão Interna de Apuração criada para apurar as denúncias de pagamento de propina à empresa holandesa SBM Offshore. A executiva afirmou que este tipo de investigação é nossa prática comum ao longo de muitos anos. "Fizemos um trabalho bastante grande. A comissão, formada por gerentes executivos ligados a diretores, esteve na Holanda", afirmou Graça, destacando que, daquilo que é nossa atribuição, não foram encontradas irregularidades.

Continue lendo

"Temos batido todos os recordes em capacidade de refino", destaca Graça Foster

15.Abr.2014

Ao responder as primeiras perguntas durante audiência no Senado nesta terça-feira, a presidente Graça Foster afirmou que hoje a Petrobras tem outras prioridades: o parque de refino no Brasil e o petróleo mais leve. De acordo com a executiva, há cerca de oito meses foi implementado um programa de prevenção à corrupção. "Criamos um programa de prevenção da corrupção, incentivamos a abertura da comissão de apuração interna (para Pasadena) e um trabalho muito forte junto à CGU e ao TCU. Trabalhamos a governança para que as boas práticas aconteçam", disse.

Graça ressaltou que a empresa tem batido "todos os recordes em capacidade de refino, com muito dinheiro e tecnologia investidos". Para ela, atualmente temos um "parque de refino de excelente qualidade e, felizmente, com grandes descobertas de petróleo que poderão carregá-lo".

Continue lendo

Presidente Graça compara nossos resultados aos das grandes majors do setor de óleo e gás

15.Abr.2014

"Pelo 22º ano, nós temos descoberto mais do que produzido. Isso é muito significativo em termos de segurança energética e rentabilidade para o Brasil e para a companhia", disse Graça Foster, ao comparar o nosso desempenho ao de outras grandes empresas do setor, conhecidas como "majors". "Temos relação produção/reserva de 20 anos; enquanto companhias como  Exxon, BP, BG, Chevron, Shell têm relação de 15 anos em média", afirmou.

Segundo a presidente Graça, enquanto estas empresas perderam, em média 16% da sua produção de petróleo nos últimos anos, tivemos crescimento de 7%. "Não estou falando de gás, isso é só petróleo", esclareceu. "Nossa produção é crescente, nós vamos atingir os 4,2 milhões de barris de petróleo por dia em 2020", informou. "Se olharmos de 2002 a 2013, a Petrobras teve um crescimento de 34%, são mais 532 mil barris de petróleo por dia, e as outras, as majors, tiveram uma perda de 320 mil barris de petróleo por dia".

Continue lendo

Graça Foster esclarece questões sobre a compra de Pasadena

15.Abr.2014

Na audiência pública no Senado nesta terça-feira, Graça Foster falou sobre a compra da refinaria de Pasadena. Segundo ela, o planejamento da compra foi feito numa época em que era necessário ampliar o parque de refino da empresa. Sobre os valores, a executiva esclareceu que foram pagos US$ 554 milhões pelos 100% da refinaria. Pelo "trading", ela afirmou, “foram  US$ 341 milhões". Ainda de acordo com a presidente, US$ 1,25 bilhão foi o valor total pago após a decisão da Justiça dos Estados Unidos, a aplicação da cláusula de put option e a negociação definitiva entre Petrobras e Astra.

"Não queremos fazer Revamp, não queremos sentar com a Petrobras para discutir melhorias na refinaria", teria informado a Astra à Petrobras, na ocasião de apresentação do exercício da cláusula de put option, informou Graça. Segundo a presidente, assumimos a integralidade das operações da empresa em outubro de 2008. Em março de 2009, as margens de refino caíram por conta da crise. "O consumo de gasolina, que é o que Pasadena produz, nos Estados Unidos, caiu 1 milhão de barris", informou. "Diversas refinarias fecharam".

A presidente falou sobre os órgãos de fiscalização e a comissão interna criada para averiguar a negociação que envolveu Pasadena. "Nós temos desde novembro de 2012 diversas oportunidades de relacionamento com CGU e TCU. Nós temos dezenas de respostas ao TCU, uma agenda extremamente disciplinada, todo o interesse em atender o TCU. Temos relatórios e relatórios de informações e uma comissão interna para deixar totalmente claros os processos de Pasadena". Ela continuou: “Tivemos, em setembro de 2006, a aprovação por unanimidade do Conselho de Administração da Petrobras, para a compra de 50% (de Pasadena). Em nenhum momento, na apresentação em power point apresentada, foram citada duas cláusulas muito importantes, a put option e Marlim".

Continue lendo

Graça Foster fala sobre refinarias em audiência no Senado

15.Abr.2014

Nossa presidente, Maria das Graças Silva Foster, participa na manhã desta terça-feira de audiência pública conjunta das Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), no Senado. Ela abriu a apresentação abordando o Plano de Negócios para o horizonte de 2015, traçado em 2004, época em que ainda não tínhamos descoberto o pré-sal, e que não havia projeção de aumentar o parque de refino no país. Nesse contexto, destacou a presidente, três refinarias foram importantes no cenário daquela época: Pasadena, Bahia Blanca (na Argentina), e Okinawa (no Japão).

A presidente lembrou que, após a mudança de cenário, duas grandes refinarias, Comperj e Abreu e Lima, serão muito importantes para o nosso parque de refino: "A realização física da Refinaria do Nordeste, a Abreu e Lima, já está em 87%. (...) Nos últimos anos temos realizado exatamente o planejado", disse, em referência às refinarias em construção atualmente.

Continue lendo

Petrobras Distribuidora assina contrato para transporte dutoviário de etanol

14.Abr.2014

dutos.jpgA Petrobras Distribuidora assinou, em março, com a Logum Logística S.A., um contrato de transporte de etanol através do modal dutoviário. Projetado para ser construído em dez fases, o duto atravessará 45 municípios, ligando as principais regiões produtoras de etanol (85% da produção nacional) nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul, ao principal ponto de armazenamento e distribuição em Paulínia (SP).

Este será um "hub" (armazenamento principal) para distribuição para os demais mercados de São Paulo e Rio de Janeiro. A celebração deste contrato permite à Petrobras Distribuidora obter um diferencial competitivo face aos ganhos econômicos da modalidade dutoviária frente à rodoviária, bem como melhor posicionamento logístico na aquisição, coleta e distribuição do etanol em um mercado com expectativa de crescimento no médio e longo prazo.

Continue lendo