Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Venda de participação nas concessões de Bijupirá e Salema

01.Jul.2015

Edise2Assinamos nesta quarta-feira (01/07), com a PetroRio S.A. (“PetroRio”), os contratos para a venda de nossa participação de 20% nas concessões dos campos de Bijupirá e Salema, atualmente operados pela Shell. O valor da transação é de US$ 25 milhões, sujeito a ajustes comuns nesse tipo de operação.

Esses campos estão localizados na Bacia de Campos, em lâminas d’água variando de 480 a 850 m. A produção diária média é de 22 mil barris de óleo e 325 mil m3 de gás associado. O óleo extraído é do tipo leve de 28º a 31º API.

Esta operação faz parte do nosso Plano de Desinvestimento e está relacionada à otimização do portfólio na área de Exploração e Produção e alinhada com o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019.

A conclusão da transação de compra e venda entre as partes está sujeita a determinadas condições precedentes, dentre as quais a aprovação da cessão de direitos pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE e pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis – ANP.

Ver post completo

Deliberações da Assembleia Geral Extraordinária

01.Jul.2015

edise.jpgInformamos que a Assembleia Geral Extraordinária, realizada nesta quarta-feira (01/07), às 15 horas, no auditório do nosso Edifício-Sede, deliberou e aprovou o seguinte:

I. Proposta de reforma do Estatuto Social da Petrobras, no sentido de:

i) Alterar o artigo 16 para referenciar as regras, governança e o planejamento estratégico da Petrobras às sociedades subsidiárias e controladas, e, na medida do possível, às coligadas, com alteração na redação inicialmente proposta, anexando o conteúdo do parágrafo único ao caput, conforme a seguir exposto:

Art. 16. As regras e governança da Petrobras aplicam-se integralmente as suas sociedades subsidiárias e controladas, e na medida do possível, às coligadas bem como às regras corporativas comuns fixadas pela Petrobras através de orientação de natureza técnica, administrativa, contábil, financeira e jurídica, observado o planejamento estratégico aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobras.” (...)

Ver post completo

Diretoria autoriza estudos para oferta pública de ações da Petrobras Distribuidora

01.Jul.2015

edise.jpgNossa diretoria executiva, em reunião ocorrida em 30 de junho de 2015, autorizou a elaboração de estudos com o objetivo de analisar alternativas estratégicas para a subsidiária integral Petrobras Distribuidora S.A. (BR).

Dentre as possibilidades que serão exploradas, encontram-se a atração de um sócio estratégico e a abertura de capital, tornando esta subsidiária uma companhia listada no segmento especial do mercado de ações da BM&FBovespa denominado Novo Mercado e aderente às melhores práticas de governança corporativa.

Esta iniciativa faz parte do nosso Plano de Desinvestimento e, caso a abertura de capital venha a ocorrer, se dará através de oferta pública secundária de ações da referida companhia. (...)

Ver post completo

Vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo recebem troféus no Rio

01.Jul.2015

premio-petrobras.jpgEntregamos na noite da última terça-feira (30/06) os 35 troféus aos vencedores da segunda edição do Prêmio Petrobras de Jornalismo. A cerimônia, realizada na Sala Cecília Meirelles, no Centro do Rio de Janeiro, premiou 17 trabalhos na categoria nacional e 17 na categoria regional, com valores entre R$ 7.600 e R$ 18.250. A principal vencedora da noite foi a jornalista pernambucana Fabiana Moraes, do Jornal do Commercio, de Pernambuco. Ela levou o Grande Prêmio Petrobras, no valor de R$ 31.800, com a série de reportagens "Especial Casa-Grande & Senzala”, produzida em parceria com Diogo Guedes e Bruno Albertim. Ao todo, 1.104 trabalhos, de todas as regiões do país, foram inscritos. A jornalista Beatriz Thielmann, que faleceu em março deste ano, foi homenageada na cerimônia. Beatriz conduziu a cerimônia ao lado de Sidney Rezende em 2013. Este ano, George Vidor apresentou a premiação. 

A matéria vencedora trata do cotidiano de jovens que, desde a infância, sofrem com a exploração sexual, tendo como gancho a mais conhecida obra de Gilberto Freyre: Casa-Grande & Senzala, que completou 80 anos. A série resultou  em mudanças na gestão da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco. Fabiana dedicou o prêmio às protagonistas da reportagem. "Acredito no papel do jornalismo na defesa dos vulneráveis, e na construção de um país com mais equidade social no futuro", revelou a jornalista. (...)

Ver post completo

Relatórios das comissões internas de apuração foram enviados às autoridades

01.Jul.2015

resposta-folha.jpgLeia a resposta que enviamos à Folha de S. Paulo sobre a comissão interna de apuração a que investigou o caso da SBM Offshore:

RESPOSTA:

A Petrobras tem enviado às autoridades competentes os relatórios das comissões internas de apuração instauradas pela Companhia para analisar os contratos investigados pela Operação Lava Jato. No caso da SBM Offshore, a comissão não identificou evidência factual ou documental que comprovasse pagamento indevido, mas todas as suas conclusões - inclusive as desconformidades em relação às normas da companhia - foram levadas ao conhecimento da CGU, MPF, Polícia Federal e TCU.

PERGUNTA:

Estou acompanhando o depoimento do ex-gerente de segurança empresarial Pedro Aramis à CPI da Petrobras, que ocorre agora, e ele deu uma informação sobre a qual preciso ouvi-los. Ele disse que a comissão de sindicância que investigou o caso da SBM "identificou cinco indícios que apontavam para uma probabilidade relativamente alta de que alguma coisa errada houvesse ocorrido", mas que não conseguiram avançar. (...)

 

Ver post completo

Flip homenageia o escritor Mário de Andrade em sua 13ª edição

30.Jun.2015

flip-emilio-fraia-3.jpgO escritor paulista Mário de Andrade será o homenageado e tema da mesa de abertura da 13ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, que acontece entre esta quarta-feira (01/07) e o próximo domingo (05/07). O maior evento literário da América do Sul também trará shows, performances, mostras de cinema e atividades para o público infantil. Quem passar por lá vai encontrar, ainda, conferências com a participação de autores do mundo todo. A programação principal conta com 39 autores, 16 deles internacionais.

Patrocinamos a Flip através da Flipinha, versão da Flip para o público infantil. O projeto educativo é desenvolvido o ano inteiro com escolas de Paraty, e busca aproximar professores e crianças da cultura do livro. A Flipinha realiza atividades de incentivo à leitura e de valorização do patrimônio cultural tais como ciclos de leitura, oficinas de ilustração, formação de mediadores de leitura e encontro com autores. Além disso, fornece material para que os professores trabalhem em sala de aula os conteúdos de livros dos autores convidados para o evento. Este ano, levaremos à praça da Flipinha os espetáculos e oficinas da companhia Carroça de Mamulengos. O projeto vai apresentar espetáculos de rua e realizar oficinas para as crianças. (...)

Ver post completo

Programa de Formação de Recursos Humanos está em vigor e não há cortes de bolsas

30.Jun.2015

esclarecimento-imprensa-notebook.jpgEm relação ao Programa de Formação de Recursos Humanos (PFRH), esclarecemos que não procede a informação de que há “cortes de bolsas de estudo no país inteiro”. O programa está em curso e foram realizadas todas as transferências financeiras às instituições de ensino para os convênios com prestações de contas regulares. Cabe a estas a responsabilidade de fazer o pagamento das bolsas aos alunos e professores. Fizemos, inclusive, repasses no decorrer deste ano.

Conforme estabelecido pelos convênios, temos de executar o repasse dos recursos financeiros em parcelas, sendo que, da segunda parcela em diante, o repasse só pode ser feito se houver a comprovação do uso regular dos recursos anteriormente repassados.

No momento, há convênios que estão com prestação de contas com pendências ou reprovadas, o que nos impede de realizar os aportes, em conformidade com a legislação vigente. Nesses casos, junto com as instituições de ensino, estamos fazendo todos os esforços para a regularização da situação.
Podem causar atrasos nos repasses: (...)

Ver post completo

Esclarecimento sobre a frota de embarcações da Transpetro

29.Jun.2015

esclarecimento-imprensa-notebook.jpgCom a publicação do Plano de Negócio e Gestão 2015-2019, nesta segunda-feira (29/06), informamos que o montante de desinvestimento é de US$ 15,1 bilhões.

Em relação aos navios petroleiros e transportadores de gás liquefeito de petróleo (GLP) pertencentes à Transpetro, informamos que não há negociação em andamento.

Ver post completo

Plano de Negócios e Gestão prevê investimentos de US$ 130,3 bilhões para período de 2015 a 2019

29.Jun.2015

png-twitpic.jpg

Nosso Conselho de Administração aprovou, no dia 26 de junho, o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019. O plano prevê investimentos de US$ 130,3 bilhões para o período de 2015 a 2019. A carteira de investimentos prioriza projetos de exploração e produção (E&P) de petróleo no Brasil, com ênfase no pré-sal. Do total, 83% (US$ 108,6 bilhões) serão investidos na área de E&P. Nas demais áreas de negócios, os investimentos destinam-se, basicamente, à manutenção das operações e a projetos relacionados ao escoamento da produção de petróleo e gás natural.

Os investimentos totais serão 37% menores quando comparados ao plano anterior e estão distribuídos conforme a tabela abaixo:

tabela1.jpg

O plano tem como objetivos fundamentais a redução do nosso endividamento e a geração de valor para os acionistas. A meta é o retorno dos níveis de endividamento ao seguinte enquadramento: alavancagem líquida, medida pela fórmula Endividamento líquido/ (endividamento líquido + patrimônio líquido), inferior a 40% até 2018 e a 35% até 2020, e endividamento líquido/Ebitda (sigla em inglês para resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) inferior a 3 vezes até 2018 e a 2,5 vezes até 2020.

Dentre as premissas consideradas no planejamento financeiro do plano, destacam-se: (...)

Ver post completo

Resposta à IstoÉ Dinheiro: Pagamento de verbas de chuvas

28.Jun.2015

resposta-istoe.jpgLeia nossa resposta à revista IstoÉ Dinheiro sobre utilização de coberturas infláveis e ressarcimento de paralisações de obras decorrentes de chuvas:

Resposta: A utilização das coberturas insufláveis em obras é um meio para mitigar os efeitos da ocorrência de chuvas nos prazos dos empreendimentos. Durante o período em que as coberturas deveriam estar insufladas não são pagas as verbas de chuvas. Ou seja, as coberturas são um meio para ganho de prazos e, consequentemente, não pagamento das verbas de chuvas.

No caso específico das obras na RPBC, a utilização da cobertura foi proposta pelo consórcio responsável e acordada com a Petrobras. O consórcio contratou a fornecedora da cobertura, que foi instalada e insuflada. Porém, devido a problemas técnicos a cobertura caiu e não pode ser utilizada. Apesar desse ocorrido, o consórcio permaneceu obrigado a cumprir os prazos como se a tenda estivesse insuflada, ou seja, sem acréscimo de prazo por chuvas. Além disso, a Petrobras ficou desobrigada de pagar as verbas de chuvas durante todo o período em que a tenda deveria estar instalada.

A Petrobras também realizou apurações internas e não identificou irregularidades.

Resposta à pergunta complementar: Foram pagos aproximadamente R$ 43,5 milhões a título de ressarcimento devido às paralisações por chuvas na RPBC. Esses valores referem-se a períodos em que a cobertura não poderia estar montada devido a restrições técnicas como, por exemplo, para montagem de estruturas e equipamentos muito altos, cujos guindastes para içamento ultrapassavam a altura da cobertura.


PAUTA
Pergunta 1:
Estou fazendo uma reportagem para a revista Istoé Dinheiro, relacionada a denúncias na Petrobras, e gostaria de um posicionamento da empresa.

O tema da matéria é o fato de que algumas construtoras que foram citadas na Operação Lava Jato utilizavam os dias parados em projetos da Petrobrás para aumentar o sobrepreço das obras. E, para manter e ampliar essa receita, as empresas boicotaram planos de montagem de coberturas insufláveis que protegeriam as obras do mal tempo. Com isso, elas contratavam empresas fornecedoras dessas estruturas por preços superfaturados, mas não as utilizavam. Dessa forma, ganhavam duplamente, com a contratação das estruturas e, mesmo assim, ainda cobravam os dias parados por causa de chuvas e possibilidade de raios(...)

Ver post completo