Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Ajustes no Plano de Negócios e Gestão 2015-2019

12.Jan.2016

PNG-2015-2019-ajustes-Blog.jpg

Leia o comunicado que divulgamos nesta terça-feira (12/01):

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou ajustes no Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 (PNG 2015-2019). Estes ajustes visam a preservar os objetivos fundamentais de desalavancagem e geração de valor para os acionistas, estabelecidos no Plano, à luz dos novos patamares de preço do petróleo e taxa de câmbio.

O novo preço do petróleo Brent e a taxa de câmbio utilizados como premissas para as projeções de investimentos e custos foram:png-2015-2019-brent-cambio.png

A partir dessas novas premissas, o valor dos investimentos para 2015 e 2016 também foram revisados, mantendo a prioridade dos projetos de exploração e produção (E&P) de petróleo no Brasil, com ênfase no pré-sal.

png-2015-2019-investimentos.png

Quanto aos gastos operacionais gerenciáveis, a realização prevista para 2015 permanece em US$ 29 bilhões e a programação para 2016 está sendo revista no âmbito do detalhamento do orçamento anual em curso.

png-2015-2019-gastos-operacionais.png

Os desinvestimentos para o biênio 2015-2016 foram mantidos em US$ 15,1 bilhões, tendo atingido o montante de US$ 0,7 bilhão em 2015.

Essa revisão dos anos de 2015 e 2016 levou a uma reavaliação do portfólio de projetos da Companhia para os 5 anos do PNG 2015-2019 e um consequente ajuste na carteira global de investimentos, conforme abaixo.

png-2015-2019--investimentos-grafico.png

Esse novo valor de investimento do PNG 2015-2019, de US$ 98,4 bilhões, representa uma redução de US$ 32 bilhões em relação ao valor inicialmente previsto (US$ 130,3 bilhões), e é decorrente da otimização do portfolio de projetos (-US$ 21,2 bilhões) e do efeito cambial   (-US$ 10,7 bilhões).  

Esses ajustes na carteira de investimentos resultaram em uma redução da projeção de produção de petróleo no Brasil de 2,185 milhões de barris por dia (bpd) em 2016 para 2,145 milhões de bpd e de 2,8 milhões de bpd em 2020 para 2,7 milhões de bpd.png-2015-2019-producao-media.png

A produção média de petróleo da Petrobras no Brasil em 2015 foi de 2,128 milhões barris por dia (bpd), volume 0,15% superior à meta estabelecida de 2,125 milhões bpd e 4,6% acima da produção realizada em 2014 (2,034 milhões bpd). Este resultado representa o recorde anual histórico de produção de óleo da Companhia, superando o recorde alcançado em 2014.

A Petrobras vem trabalhando no aprimoramento contínuo do seu Plano de Negócios e Gestão e na rápida adaptação às mudanças em seu ambiente de negócios, preservando seu compromisso de atuar com disciplina de capital e rentabilidade.

Ressaltamos ainda que a Companhia está sujeita a diversos fatores de risco que podem impactar suas projeções, tais como:

- Mudanças de variáveis de mercado, como preço do petróleo e taxa de câmbio;

- Operações de desinvestimentos e outras reestruturações de negócios, sujeitas às condições de mercado vigentes à época das transações;

- Alcance das metas de produção de petróleo e gás natural, em um cenário de dificuldades com fornecedores no Brasil.

Postado em: [Institucional, Atividades]

22 comentários

Patricia Almeida

21.Ja.2016

Fico muito satisfeita ao receber essas novas mudanças,que mostram a plena atividade da Petrobrás,apesar dos revezes.Sempre acreditei que um gigante como a Petrobrás,nao se deixaria representar por uma minoria medíocre.É na dificuldade que crescemos, que mostramos ao mundo a criatividade e o profissionalismo do Brasil,este sim,a Petrobrás representa! Grata pela atualização.

ANDRE

21.Ja.2016

Querem saber o que acontecerá com esta empresa? Leiam o Livro chamado CACAU de Jorge Amado, e vejam o que aconteceu com os barões do Cacau. Apesar de muito antigo, reflete exatamente para onde esta empresa está caminhando.

Wallace Soares

20.Ja.2016

Vocês sempre aumentaram o combustível dizendo que o petróleo estava em alta no mercado exterior, agora estamos em menor cotação do petróleo e vocês não abaixam o combustível pelo ao contrário ainda aumentaram o que vocês tem explicar para o povo?

ROBERTO

19.Ja.2016

UPGN do Comperj mantida no PNG atual ?

Fatos e Dados

21.Ja.2016

Olá, Roberto,

esse post trata de alguns ajustes do PNG. Sugerimos que continue acompanhando o blog e redes sociais. Assim que tivermos mais novidades anunciaremos por aqui.

Fabio Takara

19.Ja.2016

Espero estar errado mas essa projeção parece estar precipitada. O preço médio do barril está abaixo dos 30 dólares e ainda ocorreu o fim das sanções ao Irã; o preço do barril tende a diminuir ainda mais, já que os países do Oriente Médio estão produzindo em larga escala para tornar economicamente inviável a produção de países como o Brasil. Essa diferença de aproximadamente 33% no preço atual com o preço projetado do barril não estava nos planos e a Petrobrás deverá reajustar suas contas o quanto antes. Espero que isso ocorra logo, pois a empresa é um dos pilares do Brasil.

Gilberto

18.Ja.2016

Ao se falar de petrobras devemos falar em macro, existe uma planta instalada de custo A para retirada de petróleo e um custo A+B para venda do produto, A compreende o ponto de profundidade do petróleo que chamo de N, se houver AxN1 o custo primário é A1 mas se for mais profundo será AN20, lógico me parece que A20 terá um custo maior que A1, se a lógica da petrobras é fechar as plataformas de extração A1... E aumentar a extração em A20 teremos custo maior, fora que desativar A1 com árvores de 2 a 3 anos de fabricação, me parece um tiro no pé, sei que aumentar a retirada no pre-sal parece de primeiro impacto diminuir custo, mas também diminuir margens de lucro, mesmo sendo o Brasil paraíso para se vender combustíveis, até onde isso será sustentado? O que faremos com as sucatas? Com os prejuízos contabilizados?, quando e como voltará a petrobras a ser rentável, com pagto. De dividendos, contabilizando lucros?, me expliquem quando poderei ter orgulho dessa empresa que é orgulho brasileiro.

Fatos e Dados

21.Ja.2016

Olá, Gilberto,

sugerimos que acesse nosso ambiente digital Daqui Pra Frente. Lá, reunimos perguntas e respostas relacionadas aos nossos caminhos e decisões. Estão disponíveis textos e vídeos que tratam de temas como combustíveis, gestão e governança, entre outros.

Guilherme Medei

18.Ja.2016

Hoje os carros mais vendidos no Japão e Califórnia são hídricos e elétricos. Somente um cego não enxerga que petróleo é comodity de 3o mundo e em 10anos só será utilizado na África!! Motores a combustão estão com os dias contados. Petrobras fechará as portas em breve! Quem tem ação vende enquanto é tempo!!!

Jurandy Nogueira

18.Ja.2016

Muito bonito "correr atra do prejuízo" no que concerne à tendências mercadológicas, porém na área de boa gestão, governança, controle interno ( leia-se maus gestores) não se vê absolutamente nada! Como ficam os pequenos investidores que investiram seus parcos recursos do FGTS na esperança de ver a maior empresa brasileira virar a maior do mundo e hoje sequer figurar entre as maiores 150 do setor? Ainda este blog é gerido por qual interesse?

Suely Souza

18.Ja.2016

No ano de 2015 a empresa optou por não pagar dividendos e JCP aos acionistas. O que está previsto para 2016 nesse sentido? Quando haverá um informe sobre essa questão? Obrigada.

Fatos e Dados

18.Ja.2016

Olá, Suely,
Ainda não temos essa informação.  Continue nos acompanhando pelo blog e redes sociais e acesse nossa página de relacionamento com investidores.

Pereira

17.Ja.2016

Primeiramente gostaria de parabenizar a atual diretoria da empresa que tem dado uma resposta rápida quanto a recuperação da empresa, como trabalho na área comercial percebo que o mercado (pelo menos o que eu atendo) esta reconhecendo isso. Mas acredito que seria muito oportuno a empresa ser mais transparente quanto ao seu plano de desinvestmento. Como funcionária de uma subsidiária, estamos apreensivos com os frequentes boatos de venda da Liquigás. Gostaria de saber se realmente vão vender a Liquigás.

Fatos e Dados

18.Ja.2016

Olá, Pereira,

continue nos acompanhando pelo blog e redes sociais. Quando houver definição sobre esse tema, anunciaremos por aqui.
 

Eduardo Silva

17.Ja.2016

Como a Petrobras irá se proteger das influências e desmando político, que levaram não só a credibilidade internacional da empresa ficar desgastada, como também a se desfazer de vários ativos para se fazer caixa? Pois senão forem criados controles sérios, isso vai acontecer de novo, até a empresa acabar.

Fatos e Dados

19.Ja.2016

Olá, Eduardo Silva,
Desde de janeiro de 2015, a Petrobras criou a diretoria de Governança, Risco e Conformidade. A nova diretoria esteve entre os destaques da companhia em 2015. Continue nos acompanhando pelo blog e redes sociais e acesse nossa página sobre ações tomadas pela companhia a paritr da Operação Lava Jato.
 

pasvi

15.Ja.2016

Amigos vocês acham que algum gerente ou alguém da diretoria lerá os comentários aqui postados? E acham também que não sabem dos problemas da Petrobras? Os problemas foram criados de forma quase leviana e isso demandará em pelo menos uns vinte anos para saná-los, isso se a empresa conseguir existir até lá, oxalá consiga existir para sempre a gigante brasileira

Guilherme Kroger

15.Ja.2016

Boa tarde, Seria possível detalhar quais projetos serão mantidos, reiniciados e/ou interrompidos? Essa informação seria de grande utilidade para muita gente. Sds e obrigado

Fatos e Dados

18.Ja.2016

Olá, Guilherme,

esse post trata especificamente de alguns ajustes realizados no plano. Sugerimos que acesse nossa página de Relacionamento com Investidores e continue acompanhando o blog e nossas redes sociais. Quando mais detalhes forem anunciados, postaremos por aqui.

cristiano

15.Ja.2016

ola petrobras esse plano de investimento de voces quer dizer entao que fechar 3 platafomras da uobc é investimento. as 3 vermelhos ja estao com os dias contados. desempregando varios funcionarios muito obrigado mesmo pelo investimento isso ai acionistas voces investem e a petrobras ta fechando varias plataformas de produçao a mas de 28 anos na uo bc..

Tom Rower

13.Ja.2016

Como pode uma empresa desse porte errar tanto em todas as previsões que fez? Onde estão ou estiveram os milhares funcionários concursados pagos com ótimos salários para a média nacional e que nunca estão sujeitos à demissão?

Fatos e Dados

15.Ja.2016

Olá, Tom,

Trabalhamos no aprimoramento contínuo do nosso planejamento e na rápida adaptação às mudanças no ambiente de negócios da indústria de óleo e gás, preservando nosso compromisso de atuar com disciplina de capital e rentabilidade. Para mais informações, acesse nossa página de Relacionamento com Investidores

Valnei Velame de Oliveira

13.Ja.2016

Petrobrás fazendo o dever de casa. Sairemos dessa.

Fabricio Miron

13.Ja.2016

Orgulho dessa companhia, por tudo o que conquistou, apesar de tantos quererem roubá-la e destrui-la.

Pasquale

12.Ja.2016

Mas como acionista,estou falindo.

Wagner Sales Ribeiro

12.Ja.2016

Com as alterações no PGN, as obras no Comperj devem continuar a passos de tartaruga. Tudo que foi produzido na obra está se deteriorando, lamentavelmente. É dinheiro da Petrobras investido através das empreiteiras indo para o ralo.

Erick Nogueira

12.Ja.2016

Não aparecem os investimentos no Midstream. Por quê?

Fatos e Dados

13.Ja.2016

Olá, Erick,

o comunicado aborda os ajustes do Plano de Negócios. Para informações mais detalhadas, sugerimos que acesse nossa página de Relacionamento com Investidores.

Tiago Celestino

12.Ja.2016

No último fator de risco citado ("Alcance das metas de produção de petróleo e gás natural, em um cenário de dificuldades com fornecedores no Brasil"), gostaria de saber melhor quais são essas dificuldades com fornecedores a que o texto se refere, que supostamente colocariam em risco o sucesso das metas de produção.

Fatos e Dados

13.Ja.2016

Olá, Celestino,

no ano passado, anunciamos medidas que tornam mais rigoroso o processo de gestão de fornecedores. As empresas deverão prestar informações detalhadas sobre estrutura, finanças e mecanismos de compliance (conformidade) e combate à fraude e à corrupção, entre outros itens, sendo avaliadas pelo processo conhecido como Due Diligence de Integridade. O objetivo é aumentar a segurança nas contratações de bens e serviços e mitigar riscos em relação às práticas de fraude e corrupção. Estamos implementando ações para que apenas os fornecedores que comprovarem adotar medidas de conformidade e integridade sejam mantidos em nosso cadastro e possam participar de processos licitatórios. Saiba mais no post que publicamos sobre o assunto.

Pedro Oliveira

12.Ja.2016

Que vergonha dessa companhia.

*Campos obrigatórios




Enviar