Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Carta sobre REF Brasil: resposta à Folha de S. Paulo

26.Abr.2014

jornal-laptopLeia a reportagem "Costa procurou Graça Foster, mas acordo não saiu" (versão online), publicada neste sábado (26/04) pelo jornal Folha de S. Paulo, e confira a resposta enviada ao veículo.

PAUTA: Gostaríamos de questioná-los acerca de uma série de documentos apreendidos pela Polícia Federal, aos quais tivemos acesso, na casa de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.

1- Tivemos acesso a carta de Paulo Roberto Costa, encaminhada à Graça Foster, com detalhes sugerindo parceria com a empresa REF Brasil.

a) Quais dois acordos foram firmados pela Petrobras com a empresa REF BRASIL (CNPJ 18210511/0001-01): 1) forneceu petróleo a preços de mercado para a empresa REF processar e vender às distribuidoras; ou 2) A Petrobras fornece petróleo e contrata a REF por um sistema de tolling e todos os produtos são de propriedade da Petrobras?

2- Em 3/12/12, foi encaminhada carta à Petrobras e à assessora senior Carla Tozi carta da Petrodansk referente à planta industrial destinada ao fracionamento de nafta petroquímica. Essa empresa é ou já foi parceira da Petrobras? Qual o valor dos contratos firmados com ela? Qual foi a participação do ex-diretor Paulo Roberto Costa na negociação dessa parceria?

3-  A Petrobras quitou dívida com as empresas Pro-Sal Petroleo e Gas e DGVL Construções Empreedimentos referente ao processo judicial 140860516669 na 10ª Vara Cívil de Salvador? Qual o valor pago pela empresa?

Qual foi a participação do ex-diretor Paulo Roberto Costa nesse acordo?

4-  A Petrobras firmou algum contrato com a Carboflex para fornecimento de fluido e serviço em plataforma offshore? Quando e qual o valor do contrato?

5- A Petrobras atendeu pedido de patrocínio encaminhado em 3/10/2012 ao diretor de abastecimento José Carlos Cosenza para o VI Encontro Nacional de Maçons Petroleiros orçado em R$ 2,2 milhões apresentado por Valter Martins Martins Ramos? Qual o valor repassado? A Petrobras foi, de alguma forma, procurada pelo sr. Paulo Roberto para tratar desse assunto? Qual foi a participação do ex-diretor na negociação desse assunto?

6- A Petrobras vê algum impedimento no fato do ex-diretor da companhia, na condição de aposentado, atuar como consultor de empresas, pessoas físicas e jurídicas com interesses em fazer negócios, firmar parcerias, convênios ou resolver pendências com estatal?

RESPOSTA (à pergunta 1):

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, confirma ter recebido, em 17-01-2014, carta, sem número e sem data, do sr. Paulo Roberto Costa, propondo, em síntese, a assinatura de um Memorando de Confidencialidade com o objetivo de analisar opções de negócio de refinarias moduladas com a Petrobras.

Foram as seguintes opções apresentada na referida Carta:

1- "Petrobras fornece o petróleo a preços de mercado, a REF- Brasil processa e vende às distribuidoras";

2- "A Petrobras fornece petróleo e contrata a REF - Brasil por um sistema de Tolling e todos os produtos são de propriedade da Petrobras";

3- "Ou outro modelo que venha a ser discutido entre as partes".

O diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, respondeu àquela carta por meio da correspondência DABAST 40.001/2014, de 03-02-2014, na qual ele afirma que a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, o incumbiu de responder sobre a inviabilidade de a Companhia participar de qualquer um dos modelos propostos, bem como não tinha interesse em discutir os projetos citados na referida Carta, e tampouco assinar qualquer Memorando de Confidencialidade com aquela REF - Brasil.

Obs: As demais questões não foram comentadas

Postado em: [Respostas à imprensa]