Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Colocamos em operação terceiro poço no campo de Sapinhoá e registramos novo recorde de produção mensal no pré-sal

05.Abr.2014

homem-plataformaEntrou em produção, na última quinta-feira (03/04), o poço 7-SPH-04-SPS, em local onde a profundidade d´água é de 2120 metros, no campo de Sapinhoá, no polo pré-sal da Bacia de Santos. Esse poço, que tem potencial de produção estimado em 26 mil barris de petróleo por dia (bpd), está interligado ao FPSO Cidade de São Paulo por meio do sistema pioneiro de conexão à plataforma denominado BSR (Boia de Sustentação de Risers).

Este é o terceiro poço produtor do projeto Piloto de Sapinhoá e o segundo a entrar em operação através do sistema de coleta BSR, após a entrada em produção do poço SPS-77A, que está produzindo aproximadamente 36 mil barris por dia de petróleo desde o dia 18 de fevereiro de 2014.

O FPSO Cidade de São Paulo tem capacidade para processar até 120 mil bpd e está em operação desde 5 de janeiro de 2013, quando foi interligado diretamente ao poço SPS-55. O quarto poço produtor do projeto será interligado no início do segundo semestre. Com a entrada desse poço, a plataforma atingirá sua capacidade máxima de produção.


Próxima boia irá operar no Projeto de Lula Nordeste

Além da primeira boia já instalada no campo de Sapinhoá, outros três sistemas semelhantes foram contratados para instalação nos campos do pré-sal da Bacia de Santos. Desses três, mais um será destinado ao campo de Sapinhoá (Projeto Piloto de Sapinhoá - FPSO Cidade de São Paulo) e outros dois ao campo de Lula (Projeto Piloto de Lula Nordeste - FPSO Cidade de Paraty).

O FPSO Cidade de Paraty, com capacidade para processar até 120 mil bpd, entrou em operação no dia 6 de junho de 2013, com a produção do poço LL-11, interligado diretamente à plataforma.

A instalação da segunda boia, destinada ao campo de Lula, foi concluída em fevereiro, em menos de um terço do tempo gasto para instalar a primeira, graças às melhorias introduzidas nos procedimentos de instalação. Em seguida, no dia 9 de março, foi concluída a instalação dos dutos rígidos de aço destinados ao escoamento da produção, pela boia, de dois poços de Lula Nordeste.

No momento, está sendo feita a instalação dos dutos flexíveis do poço 7-LL-22D-RJS, primeiro produtor a ser conectado à boia de Lula Nordeste. Esse poço entrará em operação ainda neste trimestre. Na sequência, serão interligados mais dois poços, de modo que, no terceiro trimestre deste ano, será alcançada a capacidade máxima de produção do FPSO Cidade de Paraty .


Outras duas boias serão instaladas neste semestre

Os trabalhos de interligação da terceira boia no campo de Sapinhoá estão bem avançados. A boia já está submersa e conectada às suas fundações. O término da instalação ocorrerá ainda neste trimestre.

A quarta e última boia, destinada ao campo de Lula, já está posicionada na locação e encontra-se em fase inicial de instalação, dentro do cronograma previsto. A expectativa é que a instalação esteja concluída também neste trimestre.

Operamos (45%) o campo de Sapinhoá, em parceria com a BG E&P Brasil Ltda (30%) e a Repsol Sinopec Brasil S.A. (25%).

Operamos (65%) o campo de Lula, em parceria com a BG E&P Brasil Ltda (25%) e a Petrogal Brasil S.A. (10%).


Novo recorde de produção mensal no pré-sal

Informamos, também, que a produção média mensal de petróleo que operamos na camada pré-sal (contempla nossa parcela e a dos parceiros) atingiu, em março, a marca de 387 mil barris de petróleo por dia (bpd), constituindo um novo recorde de produção mensal. Com esse volume, superamos o recorde anterior, atingido em fevereiro, que era de 385 mil bpd.

Postado em: [Atividades, Institucional]

0 comentários

*Campos obrigatórios




Enviar