Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Entenda o significado das letras e números que nomeiam nossos poços exploratórios

05.Nov.2015

Po_o explorat_rio_Petrobras.jpg

Quando nos referimos a algum poço, seja porque houve uma nova perfuração ou porque ele entrou em produção, por exemplo, encontramos nomes que misturam números e letras, como 1-RJS-737, 3-BRSA-1286-SES ou 7-LL-22D-RJS. Embora pareçam estranhos, esses nomes apresentam uma lógica nada aleatória.

No caso dos poços exploratórios, criamos uma nomenclatura para classificar, ordenar, indicar a localização geográfica e o ambiente do poço, conhecida como “nomenclatura Petrobras”, que funciona da seguinte maneira:

1. A primeira parte é composta pelo código que classifica a finalidade do poço, definido de acordo com a tabela abaixo.

Tabela_po_os explorat_rios.jpg

2. Depois, acrescentamos a referência geográfica do poço, que pode ser a sigla que identifica a Unidade da Federação ou a sigla da bacia sedimentar onde se localiza o poço. Quando o poço localiza-se no mar, acrescentamos a letra S (de “submarino”) a essa sigla. (Ex.: SES – operação submarina em Sergipe; RJS – operação submarina no Rio de Janeiro; e assim por diante.)

3. O último item é a ordem sequencial do poço, considerando-se o total de poços que perfuramos num mesmo campo/área até o momento da perfuração.

Um exemplo: o 3-SES-182 é um poço de extensão (“3”), perfurado numa operação marítima no litoral de Sergipe (“SES”) e o 182º poço que perfuramos no litoral desse estado.

Os poços exploratórios também recebem outra nomenclatura, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Postado em: [Institucional, Atividades]

1 comentários

Engenheira

30.Ma.2017

Na nomenclatura Petrobras para poços exploratórios também coloca se o poço é vertical, horizontal, direcional? No caso, o passo 3 da nomenclatura da ANP para poços exploratórios.

*Campos obrigatórios




Enviar