Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Por que parcerias e desinvestimentos são importantes para a Petrobras?

05.Jul.2018

Tem hora que você precisa fazer escolhas e focar em negócios mais rentáveis

Empresas de petróleo e gás vendem e compram ativos buscando melhor retorno econômico para o seu portfólio de negócios. A Petrobras sempre comprou e vendeu ativos, mas ampliou os desinvestimentos nos anos recentes para reduzir o seu endividamento e focar em negócios com menor risco e maior rentabilidade. Isso vem nos permitindo, por exemplo, maior competitividade na aquisição de novos blocos exploratórios nos leilões de petróleo e gás. Concentrar esforços em ativos com maior retorno financeiro é fundamental para que a companhia cresça de forma mais consistente.

Parcerias viabilizam investimentos e aceleram resultados

Atuar com parceiros traz diversas vantagens, pois compartilhamos conhecimentos, investimentos e diluímos os riscos naturais do nosso setor. A indústria de petróleo exige grandes investimentos e o retorno econômico leva muito tempo para acontecer.

Todas as grandes empresas de petróleo e gás do mundo, quando atuam em mercados abertos, buscam parceiros para reduzir riscos, ampliar e diversificar investimentos. Da mesma forma, já atuamos há décadas em parcerias com outras empresas na área de exploração e produção, e isso ampliou nossa competitividade.

A atuação com parceiros pode acelerar a nossa capacidade de gerar resultados em todas as nossas áreas de negócios, e viabilizar investimentos que a Petrobras não teria condições de fazer sozinha.

Parcerias e desinvestimentos não são novidade para a Petrobras

Desde a abertura do mercado brasileiro, a partir de 1997, passamos a atuar em parceria com outras empresas na produção de petróleo e gás em águas profundas. Também vendemos e compramos ativos em vários setores nesse período, sempre que foi preciso diversificar nossos negócios ou reforçar o foco em alguns segmentos, buscando melhor retorno.

Entre 2012 e 2014, por exemplo, realizamos 21 operações de venda de participações ou de ativos, somando US$ 10,7 bilhões. Como estes dados mostram, parcerias e desinvestimentos já fazem parte do cotidiano do nosso negócio. Concentrar esforços e recursos em unidades com maior retorno financeiro, neste momento, é fundamental para que a companhia volte a crescer de forma sustentável.

Todo mundo quer se livrar dos juros. Nós também. 

Mesmo com a redução do endividamento nos últimos anos, a Petrobras ainda paga muito mais juros que as outras empresas do setor. E esse dinheiro não se reverte em crescimento, nem para a Petrobras nem para o país.

Em 2017, pagamos US$ 7 bilhões em juros da dívida, sendo US$ 5 bi a mais que a média do setor. Com esse valor poderíamos construir, por exemplo, um sistema para produzir 150 mil barris de petróleo por dia no pré-sal. Quanto mais tempo levarmos para reduzir esse endividamento, mais dinheiro será direcionado para pagar juros. Por isso, os desinvestimentos são importantes para voltarmos a investir e crescer.

Com mais foco nos investimentos e com equilíbrio financeiro, a Petrobras pode contribuir para desenvolvimento do país

Buscamos parceiros para ampliar a nossa possibilidade de investir e gerar retorno mais rápido. E vendemos ativos para reduzir a dívida, reequilibrar as finanças da companhia e focar em negócios mais rentáveis. Parcerias e desinvestimentos contribuem, portanto, para o equilíbrio financeiro da empresa.

E só uma empresa com equilíbrio financeiro e capacidade de investir pode contribuir para o desenvolvimento do país, gerando riqueza, empregos, dividendos para os acionistas - principalmente a União, que é nosso acionista majoritário -, além de pagar royalties e impostos para municípios, estados e federação.

Parcerias e desinvestimentos  são comuns na indústria de petróleo e sempre fizeram parte da nossa história. No atual momento, o programa de parcerias e desinvestimentos tem papel crucial para nossa recuperação financeira. Leia mais aqui.

 

Postado em: [Institucional]