Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Promovemos debate sobre ética e medidas de combate à corrupção

12.Dez.2018

Iniciativas para o fortalecimento do ambiente de compliance, em especial medidas para o combate à fraude e corrupção, foram alguns dos temas debatidos na quinta edição do evento “Petrobras em Compliance”, realizado nesta segunda-feira (10/12) na sede da companhia, no Rio de Janeiro. O evento contou com a presença do diretor de auditoria de estatais do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), João Carlos Cardoso, da professora Ághata Paraventi, especialista em Ética Organizacional, e membros da diretoria executiva e do conselho da companhia. A realização do V Petrobras em Compliance marca o Dia Internacional de Combate à Corrupção, celebrado mundialmente em 9 de dezembro.

Nosso presidente, Ivan Monteiro, lembrou que “temos tolerância zero à fraude, corrupção, lavagem de dinheiro ou qualquer ato não condizente com ética e integridade. Agimos conforme os interesses da companhia. Apoiamos, de forma inequívoca, o aprimoramento contínuo de nosso ambiente de compliance”. Monteiro também ressaltou: “Continuaremos atuando na prevenção. Este é um caminho sem volta. Buscamos ser referência em ética e integridade, e temos sido reconhecidos por esse esforço. Investimos e continuaremos a investir em ações de compliance porque acreditamos no valor e na importância desse investimento para nós e para os nossos públicos de interesse. Nossos valores e princípios são inegociáveis e, por isso, temos o dever de proteger a companhia”.

A professora Ághata Paraventi pontuou que cultura organizacional é um processo aprendido historicamente e que não é fácil de ser transformado, mas ao compreendermos, conseguimos agir conscientemente para um objetivo. Sem a participação dos líderes, a cultura não tem força. O comportamento dos líderes, em todos os aspectos, responde por 55% da transformação cultural. Uma política nunca será implementada se as pessoas não entenderem para que ela serve. O líder tem o papel de trazer legitimidade. Apenas 2% das pessoas mudam comportamento por mensagens formais, enquanto 98% apenas por comunicações face a face, informal, em quem confiam.

Também discutimos sobre a importância do fortalecimento do ambiente de compliance: a evolução e os desafios da companhia. Em sua apresentação, o diretor de auditoria de estatais da CGU, João Carlos Cardoso, destacou que dois dos motivos para se investir em compliance é que o custo do programa de compliance é menor que o custo das irregularidades e que as legislações nacionais e internacionais exigem a adoção dessas medidas. Dentre as boas práticas implementadas pela companhia, o diretor destacou a criação e estruturação da Diretoria de Governança e Conformidade; a aprovação dos principais normativos relacionados à integridade e à supervisão das atividades de conformidade pela alta direção; o processo de Due Diligence de Integridade, com reflexos positivos na cadeia de fornecedores; o canal de denúncia independente.

Entre os desafios, ressaltou a continuidade das ações em andamento para que a força de trabalho da Diretoria de Governança e Conformidade seja adequada à sua demanda; a consolidação da percepção, por parte dos colaboradores, de que a alta direção está comprometida com a integridade; e a grande quantidade de fornecedores e potenciais parceiros de negócios a serem avaliados.

Em vídeo gravado especialmente para o evento, o Procurador da República Deltan Dallagnol, ressaltou a importância da reflexão do papel de cada um no fomento da integridade em nosso país e na empresa. O procurador também destacou que é importante deixar claro que a quantidade de pessoas que praticou corrupção na companhia é muito pequena quando comparada ao grande quadro de funcionários, colaboradores, gerentes e executivos da empresa, em sua grande maioria pessoas éticas e comprometidas com a integridade.

Conformidade em números

Rafael Gomes, diretor de Governança e Conformidade da companhia, apresentou um balanço com os principais resultados registrados em 2018. No período foram emitidos 213 pareceres de conformidade, elevando o nível de segurança na tomada de decisão; cerca de 1,9 mil análises de Background Check de Integridade foram realizadas, possibilitando maior segurança na seleção dos profissionais indicados para assumir funções gerenciais, atuar como administradores ou Conselheiros Fiscais em empresas do Sistema Petrobras; cerca de 4 mil empresas e parceiros passaram pelo processo de Due Diligence de Integridade, que aumenta a segurança nas contratações; ao longo do ano mais de 30 mil profissionais, incluindo membros da alta administração, participaram de treinamentos sobre ética e compliance, fortalecendo a disseminação da cultura de compliance; eliminação de todas as fraquezas materiais dos controles internos, conferindo maior transparência e segurança de que as informações divulgadas em nossos relatórios financeiros são completas e íntegras.

Compliance19.jpg

Diretor de Governança e Conformidade da Petrobras, Rafael Gomes, apresenta o balanço com os principais resultados registrados em 2018

Gomes também destacou que a companhia continua construindo um caminho que não é o mais fácil, mas é o certo. “Profissionais sérios e competentes estão virando a página da Petrobras e continuaremos a investir na capacitação das pessoas, em tecnologia e controles para nos tornarmos cada vez mais efetivos”, disse Rafael, que também ressaltou que “queremos servir de exemplo para as demais empresas, contribuindo para um ambiente de negócios melhor e cada vez mais ético”.

Postado em: [Atividades, Institucional]