Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Último dia da HSM Expo 2018 trouxe temas como transformação digital, ética e integridade nas empresas

07.Nov.2018

p6349334_3163915423_3.jpg

Joichi Ito abriu o terceiro dia de palestras da HSM Expo - foto: Open Space

O terceiro e último dia da HSM Expo 2018, maior evento de gestão da América Latina, começou com conteúdos relacionados a tecnologia, internet e comunicação, educação e visões para o futuro. A palestra A prática da transformação constante foi ministrada por Joichi Ito, diretor-geral do MIT Media Lab, do Massachusetts Institute of Technology, em Boston. Para ele, a mudança está nas mãos das crianças. "As pessoas da geração Z, nascidas depois de 2001, têm uma sensibilidade muito diferente, porque cresceram entendendo que o mundo é complexo e estão prontas para iniciar uma grande mudança cultural", disse. “Temos que engajar as crianças com as ciências, é a chave para uma sociedade melhor”, profetizou.

Na sequência, a palestra Um novo jeito de trabalhar: como o Google se tornou uma das empresas mais criativas e bem-sucedidas do mundo foi apresentada pelo CEO e cofundador da Humu, Laszlo Bock. Ele é tido como o criador do campo de People Analytics, que aplica o rigor acadêmico e o ritmo inovador do Google à gestão de pessoas. A partir de uma pesquisa que apresentou, cujo resultado mostrava que apenas um terço das pessoas acredita que seus trabalhos são significativos, ele afirmou: “Quando você dá significado ao trabalho das pessoas, você consegue, em média, um aumento de 21% na produtividade”.

Ainda sobre produtividade, Bock afirmou: “As pessoas acham que todos que fazem o mesmo trabalho devem receber o mesmo salário, mas se o desempenho individual é diferente, o pagamento também deve ser. Isso é controverso. As melhores pessoas da sua equipe devem ganhar pelo menos o dobro do que o resto. Senão, outra empresa vai pagar isso a eles”.

Ética e integridade

Na parte da tarde, foi destaque a palestra Seguindo em frente: trajetória para a referência em ética e integridade na Arena Oi-Petrobras, com Márcio Campanelli, nosso gerente executivo de Governança. Campanelli falou sobre temas como verificação de integridade. “Hoje, na Petrobras, ninguém aprova nada sozinho; adotamos processos que privilegiam a tomada de decisões de maneira mais coletiva, com assinatura cruzada entre dois executivos de mesmo nível para evitar questões de influência do chefe sobre subordinados”, disse.

p6349334_3164385382_3.jpg

Márcio Campanelli falou sobre ética e integridade em palestra na Arena Oi-Petrobras - foto: Open Space

O executivo explicou o processo de compliance e os três pilares que o formam: prevenção, detecção e correção. Segundo ele, com esse novo tipo de gestão aliado à tecnologia, hoje é possível decidir de maneira mais segura do que antes, o que contribui para o processo decisório.

Ainda no último dia de HSM, o Auditório Anga recebeu a palestra Transformação digital consciente: Revolução 4.0 sem deixar ninguém para trás, com Jan Diniz e Vitor Belota. Diniz é responsável pela pauta de inovação no Grupo Anga, no qual é sócio, além de ser CEO da 08, rede de transformação digital e inovação. Já Belota é empreendedor social, fundador e membro do conselho da ONG Litro de Luz Brasil, que leva iluminação para comunidades isoladas ou da periferia.

Para Jan, a 4ª Revolução Industrial, ao contrário das anteriores, é a única anunciada enquanto acontece, mas a sociedade ainda não possui a dimensão do que ela significa. “A gente nunca sabe qual o primeiro pequeno passo a ser dado e também não estamos conectando com causas que são muito mais básicas, como causas sociais. Então, a transformação digital está servindo para quê? Estes são desafios globais”, disse.

Seguindo a mesma linha, Vitor utilizou sua experiência de intercâmbio no Quênia em uma comunidade em situação de vulnerabilidade para, quando retornou ao Brasil, fundar a ONG Litro de Luz. “A partir desta experiência e de outros cases de empresas, comecei a ver uma mentalidade de business e a pensar de que maneira a gente consegue trazer o segundo setor para essa conversa e obter impacto. A grande mudança de chave, o mindset, é sobre quais são as causas que mexem com as pessoas que estão por trás das empresas e de que maneira meu business trabalha essas questões sociais”, instiga. Diniz concorda e finaliza: “Disrupção consciente de negócios causada por transformação digital”.

Postado em: [Tecnologia e Inovação]