Petrobras . Blog Fatos e Dados

home

Blog Fatos e Dados

home

Vendemos ativos nas áreas de açúcar, etanol e petroquímica por US$ 587 milhões

28.Dez.2016

assinatura-sabara.jpg

Fechamos hoje duas vendas de ativos no valor total de US$ 587 milhões. A subsidiária Petrobras Biocombustível (PBIO) vendeu para a Tereos Participations - empresa do grupo francês Tereos - a totalidade da sua participação na Guarani, correspondente a 45,97% do capital da companhia, pelo valor de US$ 202 milhões. Foi também aprovada hoje pelo nosso Conselho de Administração (CA) a venda da Companhia Petroquímica de Pernambuco (PetroquímicaSuape) e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe) para duas subsidiárias da empresa mexicana Alpek pelo valor de US$ 385 milhões.

Com as operações anunciadas hoje, nosso programa de parcerias e desinvestimentos totalizou US$ 13,6 bilhões no biênio 2015-2016, ficando abaixo da meta de US$ 15,1 bilhões estabelecida para o período. O não atingimento da meta é explicado pela obrigação em cumprir decisão liminar da Justiça de Sergipe, impedindo a conclusão das negociações dos campos de Tartaruga Verde e Baúna, localizados, respectivamente, na Bacia de Campos e na Bacia de Santos, para as quais já estávamos em estágio avançado de negociação. A meta do programa de parcerias e desinvestimentos para o biênio 2017-2018 será automaticamente acrescida desses valores, totalizando agora US$ 21 bilhões.

Os ativos negociados hoje não contam com nossos empregados próprios e os vínculos empregatícios junto às respectivas companhias não são alterados em função das transações.

Os dois acordos fechados hoje fazem parte das cinco transações que podem ter seus contratos assinados de acordo com a decisão cautelar do Tribunal de Contas da União (TCU).

Todas as transações foram conduzidas por meio de processo competitivo e o preço das vendas foi avaliado por diversas instituições financeiras, através de opiniões independentes sobre o valor justo (fairness opinion) e um relatório de avaliação (valuation report).

Sobre as companhias envolvidas nas transações:

Guarani

A Guarani é uma das empresas líderes do mercado brasileiro de açúcar e etanol, ocupando a terceira posição entre os maiores produtores de açúcar do Brasil. A companhia detém oito unidades industriais, sendo sete no Brasil, no estado de São Paulo (usinas Andrade, Cruz Alta, São José, Severínia, Mandu, Tanabi e Vertente, esta última com controle compartilhado com o Grupo Humus, que detém 50%), e uma na África, em Moçambique (usina Sena).

Tereos

A Tereos, que é sócia da PBIO na Guarani com 54,03% do capital total, é a terceira maior produtora de açúcar no mundo. O grupo é especializado na transformação de matérias-primas em açúcar, etanol, álcool e amido e conta com 42 unidades industriais na Europa, América do Sul, Oceano Índico, África e Ásia, com 24 mil colaboradores.

PetroquímicaSuape e Citepe

A PetroquímicaSuape e a Citepe são subsidiárias integrais nossas e fazem parte do Complexo Industrial Químico-Têxtil, localizado em Ipojuca, no estado de Pernambuco. Juntas essas empresas reúnem três unidades industriais integradas: a de PTA (ácido tereftálico purificado), a de filamentos de poliéster e a de resina PET (polietileno tereftalato).

Alpek

A Alpek é uma empresa mexicana do Alfa, S.A.B. de C.V. (“Alfa”), de capital aberto, que atua no setor petroquímico e que ocupa uma posição de liderança na produção de poliéster (PTA, PET e filamentos) no mundo.

Leia mais sobre nossas parcerias:

Avançamos na aliança estratégica com a Total com a assinatura de novos acordos

Nossos executivos falam da importância das parcerias na área de exploração e produção

Parceria com a Galp fortalece atividades de exploração, desenvolvimento e produção

Ampliamos parcerias com a Statoil

*Crédito da foto: Flávio Emanuel / Banco de Imagens Petrobras

Postado em: [Atividades, Institucional]

5 comentários

Fabio dos Santos

10.Ja.2017

#vergonha

Pasquale

05.Ja.2017

Empresa voltada para o bem estar da população? Ou cuidando do seu negócio que é Petróleo. Empresa cuida de negócios,bem estar da população é outra coisa.

Eduardo Carnevali

31.De.2016

Qual(is) empresa(s) fez(fizeram) o relatório de avaliação e o cálculo do valor justo ("fairness opinion")? Igual ao Bradesco no caso da entrega da Vale?

CLAUDIO RODRIGUES NUNES

29.De.2016

A privatização das subsidiárias são ações que prejudicam a empresa, pois destrói a estratégia de uma empresa integrada, que economicamente a ajuda, pois a protege do mercado em relação a variação dos preços e custos da exploração, processo, transporte e venda. Fora que economicamente as privatizações neste momento que temos uma oferta grande de ativos no mundo inteiro a venda e o mercado internacional do petróleo ainda está se recuperando, os valores de venda estão muito abaixo do potencial econômico. Cito como exemplo a Venda dá NTS, onde o comprador vai ter recuperado seus investimentos em três anos. E para terminar, as privatizações das subsidiárias já está afetando a população em relação ao preço do produto final. É um crime a Petrobrás seguir a linha do mercado, a empresa precisa estar inserida em uma política de estado, que é diferente de política de governo, voltado para o bem estar da população, como por exemplo: Emprego, Conhecimento e sustentabilidade.

Virginia

29.De.2016

Como fica a situação dos concursados com a venda da PetroquimicaSuape?

*Campos obrigatórios




Enviar