Refino

Transformamos o petróleo bruto em produtos essenciais para o dia a dia de toda a população, trabalhando para atender à crescente demanda por derivados no Brasil. Atualmente, contamos com 13 refinarias, distribuídas por todo o território nacional, e uma unidade de processamento de xisto, no Paraná. Nosso parque de refino produz mais de dois milhões de barris de derivados por dia, como diesel, gasolina, nafta, querosene de aviação, gás liquefeito de petróleo, lubrificantes, entre outras substâncias que servem de matéria prima para diversos outros produtos.

Para produzir ainda mais e diminuir a dependência de importação, investimos em duas frentes: a construção de novas refinarias e a busca constante de aumento da produtividade do atual parque de refino. Tudo isso tendo sempre como base as melhores práticas nacionais e internacionais do setor e os princípios de segurança, meio ambiente e saúde que norteiam todas as nossas ações.

Ampliação da capacidade de refino

Trinta e quatro anos depois de construirmos a última refinaria do nosso parque de refino, colocamos em operação a Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. O primeiro conjunto de refino (Trem 1) deu início às operações em dezembro de 2014, com autorização para processar 74 mil barris de petróleo por dia, enquanto prosseguem as obras para colocar em funcionamento o Trem 2. Também encontra-se em implantação o projeto do Comperj. Ao entrar em operação, essas novas unidades vão reduzir a necessidade de importações de derivados para atender o mercado.

Com foco no aumento da capacidade e eficiência do atual parque de refino, contamos com o Programa de Produção de Médios e Gasolina (Promega), um dos responsáveis pelos nossos sucessivos recordes de refino. O Promega contribuiu com o aumento do volume de produção média diária de diesel em 9,0%, de QAV em 12,4% e de gasolina em 12,7% em 2014 quando comparado a de 2012, ano de lançamento do programa.

A produção de derivados de petróleo em nossas refinarias teve crescimento de 28% no período 2004-2014. O resultado foi um expressivo acréscimo em volume de 474 mil bpd nesse intervalo. Refinar mais a partir das mesmas refinarias, com segurança, qualidade e eficiência, é resultado de investimentos expressivos em modernização, novas unidades de processamento e melhorias operacionais.

Nos últimos cinco anos, por exemplo, colocamos em operação 60 novas unidades nas refinarias existentes. Desde 2012, entraram em operação 22 unidades. Atualmente, outras oito unidades estão em construção. Essas unidades são, em sua maioria, Unidades de Hidrotratamento (UHDT), de Hidrossulforização (UHDS), de Geração de Hidrogênio (UGH), de Recuperação de Enxofre (URE) e de Tratamento de Águas Ácidas (UTAA) e possibilitam a produção de Diesel S-10 e Gasolina S-50, combustíveis de alta qualidade, com mais baixo teor de enxofre e que possibilitam a redução de emissões veiculares.

Entenda o ciclo do refino

A produção de derivados a partir do petróleo envolve, basicamente, três processos principais:

  1. Destilação – é o processo de separação dos derivados: o petróleo é aquecido em altas temperaturas até evaporar. Esse vapor volta ao estado líquido conforme resfria em diferentes níveis dentro da torre de destilação. Em cada nível há um recipiente que coleta um determinado subproduto do petróleo.
  2. Conversão – é o processo que transforma as partes mais pesadas e de menor valor do petróleo em moléculas menores, dando origem a derivados mais nobres. Isso aumenta o aproveitamento do petróleo.
  3. Tratamentos – são os processos voltados para adequar os derivados à qualidade exigida pelo mercado. Em um desses processos, por exemplo, é feita a remoção do enxofre.

Conheça melhor esse processo a partir do ciclo da gasolina, um dos derivados do petróleo: