Recursos Hídricos

A disponibilidade de água em quantidade e qualidade é essencial para as nossas operações. Em todas as nossas áreas de negócio, utilizamos água doce em diversas atividades, tais como dessalgação de petróleo, geração de vapor, utilização nas torres e nos sistemas de resfriamento, combate a incêndio e consumo humano. Consequentemente, quase todas as nossas atividades geram algum tipo de efluente hídrico (industriais, sanitários, água produzida e outros). Dessa forma, os temas "recursos hídricos" e "efluentes" são, além de transversais, de relevância estratégica para a sustentabilidade dos nossos negócios.

Nossas iniciativas na gestão dos recursos hídricos e efluentes ao longo de 2017 estão consolidadas no documento Água na Petrobras.

2018-03-14-_2_.png

 

Nossa gestão de recursos hídricos tem como princípio básico a constante busca pela racionalização do uso da água, que permite tanto garantir o suprimento necessário às atividades quanto contribuir com a sua conservação nas áreas de influência de nossas instalações. Nesse sentido, buscamos a adoção de tecnologias pouco intensivas no uso da água, a minimização do seu uso nas operações e processos, o reúso e a identificação de fontes alternativas de suprimento, sempre considerando a disponibilidade hídrica local e viabilidade técnico-econômica das ações. Com relação aos efluentes gerados, buscamos a minimização das substâncias poluentes descartadas, a segregação, tratamento e destinação adequada das correntes, observando os padrões de lançamento e a capacidade dos corpos receptores para a assimilação dos efluentes.

Conheça algumas de nossas iniciativas relacionadas à gestão de recursos hídricos e efluentes

Sistema de Informações de recursos hídricos e efluentes

Identificação e mitigação de riscos hídricos

Pesquisa e Desenvolvimento

Patrocínio a projetos socioambientais

Resultados importantes

Conheça alguns dos nossos resultados:

  • Triplicamos o nosso volume de reúso em 10 anos. Em 2017, reusamos 25,4 milhões de m³, o que corresponde a 12,5% de nossa demanda total de água doce. Esse volume seria suficiente para abastecer, por exemplo, uma cidade de aproximadamente 615 mil habitantes por um ano;

2018-03-14 _3_.png a) A fonte de dados utilizada para os cálculos foi o Inventário de Recursos Hídricos e Efluentes 2017.
b) Não estão contabilizados os volumes de condensado recuperados em ciclos térmicos, a água de resfriamento recirculada e a água produzida reinjetada para fins de recuperação secundária e terciária de petróleo.

  • Em 2017, obtemos nota acima da média do setor industrial e do setor de energia no programa de água do Carbon Disclosure Project (CDP Water). Outra importante conquista foi a pontuação que obtivemos no Índice Dow Jones World de Sustentabilidade. No indicador de Riscos Hídricos Associados ('Water Related Risks'), pontuamos acima da média das empresas que integraram o índice em 2017 (88, versus 87 pontos) e acima da média da indústria (88, versus 34 pontos). O reconhecimento por estas avaliações evidencia que demonstramos e comprovamos ações eficientes de gestão ambiental, bem como a existência de processos robustos de identificação e mitigação de riscos hídricos e estratégias para capitalizar oportunidades relacionadas à água. Essas avaliações são feitas tanto no âmbito dos ativos operacionais, quanto no da companhia de modo geral, o que evidencia a abrangência da nossa estratégia de gestão ambiental e hídrica.

Veja nossas iniciativas na gestão dos recursos hídricos e efluentes ao longo de 2017 no documento
Água na Petrobras.